terça-feira, 9 de setembro de 2008

Ensaios Sobre As Paixões (5)


Ato V: Pathos-Excesso




Semear um

sorriso teu

é conquistar

uma pequena vitória.


(E o que tu vais saber disso?

Nada.)


Tê-la em meu

universo onírico

Faz-me acordar

aos suspiros.


(E quando te contarei meus sonhos?

Nunca.)


Sofro menos

ao te manter alheia.

Tu não traz empecilho

ou interdição.


(Quão equívoco

o radical latino...)


Não faz-se mister

haver outro,

além de mim.

nessa relação.


(Nutro paixão aqui

para dois.)


Não há sofrimento

Quando não há

dor provinda

de repulsa.


(Ignorância empalidece

qualquer negação.)


Tu és alvo.

Não há retorno.

Te acompanho

sem perseguir.


(E sem pesar,

obedeço ao pronome:

Minha paixão por ti

é minha.)



Carpe Diem. Amo vocês.

Um comentário: